11 de dez de 2016

Nota Paraná agora tem aplicativo para consumidor comparar preços

O Paraná é o primeiro Estado a lançar um aplicativo que permite pesquisa de preços para o consumidor. O aplicativo Menor Preço, que fornece um comparativo do quanto custa um mesmo produto em diversos estabelecimentos, é um desdobramento do programa Nota Paraná e foi lançado pelo governador Beto Richa nesta terça-feira (29). Na mesma solenidade, realizada no Palácio Iguaçu, foram entregues os três principais prêmios do 12º sorteio do Nota Paraná. 

O novo aplicativo, já disponível para as plataformas Android e iOS, oferece a possibilidade de pesquisa de aproximadamente 10 milhões de preços de produtos, que são atualizados semanalmente por mais de 60 mil estabelecimentos varejistas no Estado. A plataforma utiliza como base informações de 3,8 milhões de notas fiscais eletrônicas emitidas todos os dias no Estado. 

“É um aplicativo que possibilita ao consumidor consultar, em um raio de até 20 quilômetros, o preço de produtos, por meio do código de barras do item ou o nome do produto. Um projeto muito bom”, afirmou Richa. Não tenho dúvida que será um programa de tanto sucesso quanto o Nota Paraná, porque vai possibilitar às pessoas economizarem e contribuir para reduzir a inflação no Estado” disse o governador.

Lojas virtuais

Para efetuar o download do aplicativo para Android, basta acessar este link.. Já para usuários de smartphones com a plataforma iOS, basta clicar neste link.

Queda de preços

Os preços são atualizados em tempo real, com base nos registros das Notas Fiscais de Consumidor Eletrônica (NFC-e). De acordo com o secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, vai haver um benefício para o cidadão não apenas porque permite uma ferramenta de pesquisa de preço, mas também porque vai estimular a concorrência no varejo. “Haverá uma disputa, o que fará com que haja uma queda de preços e da inflação no Paraná maior do que em outras unidades da federação” disse.

Fácil de usar

Desenvolvido em parceria entre a Celepar e a Secretaria da Fazenda, o aplicativo é fácil de usar e permite ao usuário utilizar o leitor de código de barras, integrado a ele, para encontrar o preço do produto que deseja. Se não houver código de barras, basta digitar o nome ou a marca do produto para realizar a pesquisa. Não é necessário ser cadastrado no Nota Paraná para usar o programa.

Além disso, o aplicativo usa a localização do consumidor para apresentar os menores preços e os que estão mais próximos do comprador. Feita a escolha do estabelecimento, o aplicativo mostra o mapa, os locais mais próximos e o caminho a ser seguido para chegar ao endereço. 

George Tormin, diretor-geral da Secretaria da Fazenda, lembra que o aplicativo traz benefícios também para empresas. “A área de compras de empresas, por exemplo, pode fazer cotações para verificar onde é mais barato, por exemplo, adquirir material ou produtos para o cafezinho dos funcionários” acrescentou.

Listas

O Menor Preço-Nota Paraná ainda permite a criação de listas de produtos, para que o consumidor verifique onde cada produto de suas compras está mais barato. Com a lista salva, é possível procurar todos ao mesmo tempo. Essa opção, porém, só estará disponível para quem possui cadastro no Nota Paraná.

Tormin diz que a intenção é trazer mais novidades com as versões futuras do aplicativo, como filtros de limites de valor, data de atualização e proximidade compartilhamento de listas, rota de compra de uma lista, histórico e alerta de preços e notificação de problemas com produtos, categorias e outros. Nas próximas versões será possível, por exemplo, pesquisar cada lista por estabelecimento e verificar em qual deles a compra sairá mais barata. 

“É mais um benefício que o Nota Paraná proporciona. Além de reduzir a sonegação e a carga tributária individual, na medida que 30% do imposto pago pelo estabelecimento retorna para o contribuinte e distribuir prêmios, o programa passa agora a ajudar o consumidor a gastar menos”, completa Mauro Ricardo.

Celepar

O projeto Menor Preço Paraná nasceu em meio ao anúncio do Prêmio Celepar de Inovação, ação que premiou boas práticas no ramo de tecnologia da informação e comunicação, além de incentivar a criatividade e proporcionar melhorias contínuas do atendimento nos serviços públicos que o Estado presta ao cidadão.

Em maio deste ano, a iniciativa foi premiada com a primeira colocação no prêmio, fato com que André Ávila, um dos integrantes da equipe idealizadora se recorda com gratidão. “Foi muito gratificante ver que uma ideia que nasceu numa brincadeira após o almoço, possa ter se tornado realidade e é melhor ainda ver que esse produto poder ajudar as pessoas. Quando nos inscrevemos no prêmio, focamos nossas ideias em produtos que pudessem mudar a vida das pessoas e não apenas dentro da empresa”. 

Neste dia, o que era sonho se tornou realidade, Ávila relatou os bastidores do desenvolvimento deste projeto. “Durante o concurso até pensamos que estávamos errados, mas agora, depois de ver onde o produto chegou, acredito que não poderíamos estar mais certos”, ressaltou.

Futuro

Ávila lembrou ainda que o Menor Preço Paraná “tem potencial de crescimento e pode ter um retorno ótimo para a Celepar, cidadãos e governo, uma vez que ainda há muito a fazer em 2017, pois precisamos torná-lo efetivamente uma plataforma de economia para o cidadão e, claro, temos outras ótimas ideias para um novo concurso só esperando uma oportunidade”.

Tecnologia

Além da ideia inovadora, a equipe buscou incluir tecnologias que ainda eram pouco conhecidas pela empresa, como o NodeJS e Elasticsearch, além do Redis, já utilizada em outros projetos. 

De acordo com a coordenadora de Sistemas de Informação B-1 (COSIN B-1), Camila Furlan, “a construção deste produto foi realizada em uma arquitetura de desenvolvimento diferenciada, que chamamos de híbrido. De forma simplificada, nela podemos desenvolver um código e convertê-lo em ambas plataformas: iOS e Android. Isso nos possibilitou incluir mais funcionalidades (dentro do prazo curto que tínhamos) em vez de replicar duas codificações de aplicativos para atender duas plataformas”, disse.

Outra situação citada por Camila foi a integração entre outro projeto contemplado pelo Prêmio Celepar de Inovação. “Foi interessante poder agregar práticas da metodologia Design Thinking, que foi o segundo colocado no mesmo prêmio da empresa, ou seja, conseguimos unir duas iniciativas inovadoras em um único projeto, isso foi muito gratificante”.

Equipe

Camila Furlan fez questão de ressaltar o trabalho em equipe. “Posso dizer que tenho muito sorte em poder contar com parceiros, que se comprometeram com o projeto, compreenderam as características incomuns que tínhamos e permaneceram firmes no compromisso assumido. Para mim, o que impulsiona nos projetos de sucesso é o comprometimento ponta a ponta entre as equipes. São as pessoas que fazem a diferença e essa é uma certeza que pode ser levada a todos os outros projetos, independentes de tecnologia. Agora é aguardar o retorno da sociedade, para esse produto que poderá afetar significativamente a cultura de compra dos cidadãos”.

Para o planejamento, atendimento e execução do projeto, foram envolvidas cinco gerências e cinco coordenações, conforme relação prescrita abaixo:

Gerência de Sistemas de Informação (GSI-C)

Marcelo Hümmelgen 

Gerência de Sistemas de Informação (GSI-B)

Claudette Morás, Diogo Bauer, Elaine Toyoshima e Maria Teresa Pahl.

Gerência de Tecnologia da Informação e Comunicação (GTIC)

Marco Bonato

Gerência de Serviços de Comunicação Multimídia (GSCM)

Christianne Steil 

Gerência de Monitoramento e Operação (GMO)

Roberto Amaral

Coordenação de Sistemas de Informação C3 (COSIN-C3)

André Ávila, Cassyus Lobo, Daniel de Liz, Marcio Ribeiro e Marlonn Della Bruna.

Coordenação de Sistemas de Informação B1 (COSIN-B1)

Amanda Costa, Camila Furlan, Daniel de Araujo, Joserley de Oliveira, Marcelo Heck e Paulo Santana.

Coordenação de Tecnologia de Infraestrutura para Sistemas de Informação (COTIS)

Dario Knopfholz e Jefferson Marçal.

Coordenação de Desenvolvimento de Produtos Multimídia (CDPM)

Eduardo Iwersen e Fabiano Hümmelgen.

Divisão de Central de Atendimento Celepar (DICAC)

Cleo Costa, Josiane Fabiano, Juliana Fonseca, Marilia Ueda e equipe de operadores que realizam o atendimento, bem como o repasse de informações do Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC) aos auditores fiscais da Receita Estadual, vinculados à Secretaria da Fazenda (SEFA).

Ajuste fiscal

O governador Beto Richa destacou que o programa foi criado dentro do ajuste fiscal implantado pelo governo em 2014 e que permitiu ao Paraná ter hoje uma situação fiscal privilegiada em relação aos demais Estados – já são 12 unidades da federação que anunciaram que não vão pagar o décimo terceiro salário.

“Foram medidas impopulares que hoje começam a ser reconhecidas pela população e que nos permite ampliar investimentos e cumprir os nossos compromissos”, disse ao citar o pagamento da primeira metade do décimo terceiro salário nesta quarta-feira (30). “A parcela vai colocar R$ 800 milhões na economia do Paraná e representa também o nosso respeito aos servidores”, disse. 

Juiz, motorista e dona de casa ganham maiores prêmios

Os três principais prêmios do 12º sorteio do programa Nota Paraná saíram para um juiz de Direito, uma motorista autônoma e uma dona de casa. Eles colocaram o CPF nas notas de compras feitas no varejo em agosto e receberam R$ 50 mil, R$ 30 mil e R$ 20 mil no sorteio do programa realizado em novembro.

O juiz Alexandre Gomes Gonçalves, de 43 anos, morador de Curitiba, conta que fez o cadastro no programa logo que ele foi lançado e já havia recebido prêmios com valores menores. Desta vez ele ganhou R$ 50 mil. “Vou usar o recurso para amortizar a dívida de um imóvel”, disse. 

A motorista Nadia Chaves Pereira, 46 anos, de Paranaguá, recebeu o prêmio de R$ 30 mil e diz que incentiva outras pessoas a colocarem o CPF na nota também por uma questão de cidadania. “Todo mundo tem que contribuir para a sonegação diminuir”, afirmou ela.

Já a dona de casa Isabel Cristina Guedes, 44 anos, de Curitiba, ganhou R$ 20 mil e planeja usar o dinheiro para rematrícula de escola, presentes e viagens de fim de ano. Isabel também ficou empolgada com a possibilidade de baixar um aplicativo para pesquisar preços. “Vou pesquisar preço, a gente sempre tem que fazer isso”, disse ela. 

Programa já distribuiu R$ 313,5 milhões em créditos e prêmios

Lançado em agosto de 2015, o Nota Paraná já sorteou, desde então, 3 milhões de prêmios, que somam R$ 35,6 milhões (em novembro foram distribuídos R$ 2,84 milhões em prêmios). Somados aos créditos de R$ 277,9 milhões disponibilizados aos participantes, já foram liberados R$ 313,5 milhões pelo Nota Paraná.

Todos os meses, além de devolver parte do imposto pago pelos contribuintes em compras do varejo, o programa realiza o sorteio de 250 mil prêmios em dinheiro. Os três maiores são de R$ 50 mil, R$ 30 mil e R$ 20 mil e, meses com datas especiais, como o Natal, mês das mães, dos namorados, dos pais e das crianças, eles são multiplicados por quatro. Em dezembro, três sortudos vão receber prêmios de R$ 200 mil, R$ 120 mil e R$ 80 mil. Os outros prêmios têm valores menores, de R$ 10, R$ 20, R$ 50, R$ 250 e R$ 1 mil. 

Toda primeira compra do mês gera um bilhete, independentemente do valor. Depois, cada R$ 50 em notas fiscais dá direito a um novo bilhete, com validade apenas para o sorteio do seu respectivo período (o sorteio é realizado quatro meses depois). O mesmo CPF pode receber mais de um prêmio no sorteio.

Instituições

O programa também tem beneficiado instituições sem fins lucrativos das áreas de saúde, assistência social, defesa e proteção animal, desportiva e cultural. Até agora há 774 entidades cadastradas, que já receberam R$ 5,6 milhões entre prêmios e créditos. 

Há duas maneiras de doar notas para as instituições cadastradas no programa. A primeira, o contribuinte solicita o documento fiscal, sem informar o CPF. Posteriormente, faz a doação da nota para a respectiva entidade beneficiária no site do programa. Outra opção é o contribuinte, após pedir nota e não informar o CPF, depositar o documento em urnas disponibilizadas pelas entidades, que vão recolher os documentos e fazer o registro no sistema. 

IPVA 

Os créditos do Nota Paraná podem ser usados também para abater os valores do IPVA de 2017. Mas o contribuinte deve ficar atento porque o prazo para a transferência vai até esta quarta-feira (30). Não há limite para resgate e para fazer a operação basta acessar o site www.notaparana.pr.gov.br e clicar no link minha conta-corrente.

Fonte: Agência Estadual de Notícias via CELEPAR

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhando idéias e experiências sobre o cenário tributário brasileiro, com ênfase em Gestão Tributária; Tecnologia Fiscal; Contabilidade Digital; SPED e Gestão do Risco Fiscal. Autores: Edgar Madruga e Fabio Rodrigues.

MBA EM CONTABILIDADE E DIREITO TRIBUTÁRIO DO IPOG

Turmas presenciais em andamento em todo o Brasil: AC – Rio Branco | AL – Maceió | AM – Manaus | AP - Macapá | BA- Salvador | DF – Brasília | ES – Vitória | CE – Fortaleza | GO – Goiânia | MA - Imperatriz / São Luís | MG – Belo Horizonte / Uberlândia | MS - Campo Grande | MT – Cuiabá | PA - Belém / Marabá / Parauapebas / Santarem | PB - João Pessoa | PE – Recife | PI – Teresina | PR – Curitiba/ Foz do Iguaçu/Londrina | RJ - Rio de Janeiro | RN – Natal | RO - Porto Velho | RR - Boa Vista | RS - Porto Alegre | SC – Florianópolis/Joinville | SP - Piracicaba/Ribeirão Preto | TO – Palmas

Fórum SPED

Fórum SPED