Pular para o conteúdo principal

SPED | Admirável mundo novo na contabilidade


Por Carlos Meni,
Progresso industrial, expansão das corporações, avanços da ciência, crise econômica, desigualdades sociais. Descrito no livro Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, de 1931, ainda no auge da Grande Depressão norte-americana, que balançou o mundo, este cenário é igual ao que estamos atualmente inseridos, mas incrivelmente diferente!
Este momento, que combina situações controversas, de preocupação pela crise europeia, e de euforia e efervescência no panorama brasileiro, faz desta ocasião algo sem igual na história do mercado nacional, em especial para setores como o contábil e de tecnologia da informação.
O Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) é desses casos emblemáticos. Por um lado, muitos estão assustados com a sua complexidade, enquanto outros surfam com desenvoltura por esta nova onda tecnologia. Outros, no entanto, dizem que o SPED é algo novo, e com certa razão, mas eu gosto de dizer que é apenas a estruturação das informações geradas pelas empresas em seu dia a dia de forma detalhada.
Com tal visão, é possível presumir que as empresas devam definir o quanto seria importante repensar a forma de fazer negócios e atender aos seus clientes. Afinal, não é à toa que o admirável mundo novo descrito por Aldous Huxley vislumbrava um futuro pautado por uma sociedade excessivamente organizada, padronizada e controlada pelos computadores. Qualquer semelhança não é mera coincidência.
A ideia de uma sociedade baseada no conhecimento está se tornando menos imprecisa e mais evidente a cada dia à medida que se evidencia a diferença que a capacidade humana pode fazer, na hora de processar a informação e transformá-la, a partir da sua experiência, criatividade, aprendizado técnico, em algo de valor.
Ter o poder e saber usar a informação: este é o grande diamante que está sendo lapidado pelo empresário da contabilidade para os seus clientes, trazendo muito valor ao seu negócio e ao de seus clientes. Este novo mundo em que vivemos desencadeou uma luta desenfreada por competitividade, gerando estresse e valores equivocados, para os quais o verbo ter, muitas vezes, supera o verbo ser em nossa sociedade.
Hoje, a informação é a matéria-prima e a tecnologia é o meio, mas é a habilidade intelectual o principal ingrediente do que é produzido, vendido e consumido no mundo. Milhares de reais estão sendo investidos pelas empresas contábeis na busca do conhecimento e em especialização, pelos contadores em todo o Brasil. A formação da inteligência contábil será muito exigida neste momento, com orientações e acompanhamento das operações, das atividades de cada cliente com suas especificidades.
A contabilidade é uma profissão que exige de seus profissionais estudo contínuo, pois são eles que auxiliam as empresas a realizar operações com rentabilidade e segurança contábil, fiscal e tributária que precisam para garantir a sustentabilidade de seus negócios.
Se até algumas décadas atrás a informação era dependente de um meio físico, como o papel, hoje ela está disponível em algum lugar na web e a agilidade ao acesso dela, em qualquer lugar e hora, é o ponto-chave para o sucesso.
As mudanças sentidas neste início do século XXI vão muito além das produzidas pelas inovações tecnológicas. O que se está transformando é a dinâmica da forma de gerenciar as empresas e os negócios, fazendo surgir um mundo novo para a contabilidade brasileira. Um mundo com o qual e para o qual as empresas devem se voltar. Um mundo onde as empresas contábeis são realmente responsáveis pelo sucesso das organizações.
Tão diferente e admirável!

Carlos Meni, presidente da Prosoft Tecnologia

Veja Também:

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fisco notifica empresas do Simples para buscar quase R$ 1 bi em tributos atrasados

Serão cobradas omissões de 2014 e 2015
A Secretaria da Receita Federal informou que vai notificar nesta semana, por meio da página do Simples Nacional na internet, 2.189 empresas inscritas no programa para quitarem quase R$ 1 bilhão em tributos devidos. O alerta é fruto de uma ação integrada com fiscos estaduais e municipais.
Segundo o subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Iágaro Martins, as empresas serão notificadas quando elas entrarem no site do Simples Nacional para gerar a guia de recolhimento do imposto devido, procedimento que elas têm de fazer todos os meses. Antes de conseguirem gerar a guia, serão informadas pelo órgão sobre as divergências.
As empresas do Simples notificadas terão até o fim de setembro para regularizarem sua situação. Se não o fizerem até lá, os fiscos federal, estaduais e municipais envolvidos na operação avaliarão o resultado do projeto e identificarão os casos indicados para "abertura de procedimentos fiscais" - nos quais são cobra…

Contabilidade Digital

Iniciamos 2017 com algumas mudanças no Lucro Real como a obrigatoriedade de apresentação de assinatura de 02 contadores na retificação (correção) de registros contábeis de anos anteriores já enviados á Receita Federal pela ECD – Escrituração contábil Digital, que nada mais é que a própria contabilidade digital (Balanço, DRE, Balancete). E ainda caso a contabilidade seja considerada imprestável pelo Fisco será tributada pelo Lucro Arbitrado onerando um adicional de 20% no cálculo do IRPJ, sendo contabilidade imprestável aquela cujos registros contábeis não retratam a realidade financeira e patrimonial da empresa.
Diante deste cenário, vimos orientá-los de obrigações legais que as empresas devem estar atentas de forma a diminuir o risco tributário e não sofrer com penalidades do Fisco. Estamos numa era digital, onde o Fisco investe em tecnologia da informação ao seu favor para aumentar a arrecadação, fiscalização e combate a sonegação, bem como falhas dos contribuintes nos controles da…

Tese de que contador não se beneficia com sonegação faz empresária ser condenada

Em casos de sonegação fiscal, quem se beneficia é o empresário, e não o contador que supostamente teria cometido um ato ilegal. Foi essa a linha seguida pelo Ministério Público em um caso que acabou com a condenação, determinada pela 25ª Vara Criminal de São Paulo, de uma sócia de distribuidora de cosméticos por sonegação de Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
Segundo a denúncia, entre os meses de março e dezembro de 2003 a acusada inseriu números inexatos em documentos exigidos pela lei fiscal, causando um prejuízo ao fisco de aproximadamente R$ 1 milhão.
O juiz Carlos Alberto Corrêa de Almeida Oliveira afirmou que caberia à empresária manter em ordem livros fiscais e demais documentos que demonstrem a lisura das informações prestadas à autoridade fiscal e, diante disso, condenou-a à pena de três anos de reclusão – com início no regime aberto – e pagamento de 15 dias-multa, no valor mínimo unitário legal, substituindo a pena privativa de liberdade por duas r…