28 de mai de 2012

Mundo SPED – A Era Digital


Por Maicon José Gorges

O governo, sentindo a necessidade de obter informações rápidas e precisas de seus contribuintes, aprimorou a área de tecnologia da informação da Receita Federal para criar o SPED (Sistema Público de Escrituração Digital). O SPED é formado hoje pelos subsistemas de Nota Fiscal Eletrônica, Escrituração Contábil Digital e Escrituração Fiscal Digital (este subdividido entre EFD IPI/ICMS e EFD Contribuições), porém vários outros sistemas já estão sendo incorporados a esta base, tornando o SPED eficaz não só para o governo mas também para as empresas e sociedade como um todo.
Diante destas mudanças, as empresas precisam cada vez mais de processos, soluções e pessoas que a auxiliem a atender a todas as demandas do SPED, gerando informações corretas e coerentes entre as diversas escriturações.
No grupo das empresas já adaptadas com o “novo cenário”, estas devem aproveitar este momento para entender suas operações de entradas e saídas, repensar e redistribuir as tarefas e, até mesmo, reavaliar competências e realinhar o foco e objetivos de suas escriturações.  Este é um momento oportuno para que a empresa avalie os fornecedores de tecnologia da informação no sentido de buscar soluções não apenas na geração dos arquivos, mas também soluções que permitam reduzir seu custo operacional.
Com o detalhamento das informações exigidas pelo fisco, o SPED abriu campo para diversas ferramentas auxiliares no Mundo SPED:
Ferramentas que se tornem responsáveis pela recepção, validação e integração automática de NF-e, NFS-e e CT-e com seu ERP, que evitam erros de digitação, agilizam a recepção das mercadorias e transferem o “conhecimento fiscal” para a ponta proporcionando uma maior qualidade das informações escriturais.
Soluções de auditoria nos arquivos digitais, identificando focos de exposição fiscal e orientando as ações corretivas necessárias dentro do ERP, conciliando obrigações acessórias da empresa, como exemplo, DACON X EFD – Contribuições.
Acredito que chegou o momento das empresas quebrarem o paradigma administrativo de que o projeto SPED é um fardo para os departamentos fiscais e contábeis, passando a  vê-lo como uma oportunidade de regular os processos da organização e utilizar toda essa informação para a tomada de decisões estratégicas.

 Maicon José Gorges - Consultor de Negócio na Quirius Soluções Fiscais.


Veja Também:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhando idéias e experiências sobre o cenário tributário brasileiro, com ênfase em Gestão Tributária; Tecnologia Fiscal; Contabilidade Digital; SPED e Gestão do Risco Fiscal. Autores: Edgar Madruga e Fabio Rodrigues.

MBA EM CONTABILIDADE E DIREITO TRIBUTÁRIO DO IPOG

Turmas presenciais em andamento em todo o Brasil: AC – Rio Branco | AL – Maceió | AM – Manaus | AP - Macapá | BA- Salvador | DF – Brasília | ES – Vitória | CE – Fortaleza | GO – Goiânia | MA - Imperatriz / São Luís | MG – Belo Horizonte / Uberlândia | MS - Campo Grande | MT – Cuiabá | PA - Belém / Marabá / Parauapebas / Santarem | PB - João Pessoa | PE – Recife | PI – Teresina | PR – Curitiba/ Foz do Iguaçu/Londrina | RJ - Rio de Janeiro | RN – Natal | RO - Porto Velho | RR - Boa Vista | RS - Porto Alegre | SC – Florianópolis/Joinville | SP - Piracicaba/Ribeirão Preto | TO – Palmas

Fórum SPED

Fórum SPED