Pular para o conteúdo principal

Contabilidade Pública como ferramenta de organização é tema de Simpósio Nacional em João Pessoa

A cidade de João Pessoa (PB) sediará entre os próximos dias 15 a 17 de julho o II Simpósio Nacional de Contabilidade Aplicada ao Setor Público, voltado a professores, estudantes e profissionais ligados à área de gestão pública. O evento será realizado no auditório "Celso Furtado", do TCE, em João Pessoa, promovido pelo Conselho Regional de Contabilidade da Paraíba e coordenado pelo professor Ph.D Jorge Lopes.
Estão sendo disponibilizadas 500 inscrições, que podem ser feitas através do site www.crcpb.org.br  ou pelos números 3044-1329 e 1306, de segunda a sexta-feira.
Segundo o presidente do CRCPB, Glaydson Trajano, o objetivo do encontro é proporcionar aperfeiçoamento e novos conhecimentos convergentes às boas práticas da contabilidade pública na moderna administração brasileira, sobretudo diante da Lei de Responsabilidade Fiscal e das mudanças que vêm ocorrendo no ambiente econômico mundial.
"A busca por uma melhor eficiência e qualidade nos serviços públicos é uma realidade e nesse contexto, eficiência, produtividade e qualidade constituem-se em metas a serem alcançadas por todas as instituições, através de um nível de informação condizente com os objetivos pretendidos", afirmou.
Fórum de Gestores Públicos
O Simpósio será aberto às 14h30 do dia 15, com um Fórum estadual de Prefeitos e Gestores Públicos, através de uma mesa redonda composta por representantes da FAMUP, CGU, TCE, MP e MPF, além de participações especiais a serem confirmadas do senador Aécio Neves, do deputado federal Hugo Mota e do governador Ricardo Coutinho.
As atividades terão início às 18h00, com uma palestra Magna do professor e auditor de contas Públicas do TCE de Pernambuco, João Eudes Bezerra, sobre o tema "Proposta de Aplicação de custos no setor público”, seguida de sessão de autógrafos de livros de sua autoria. Na manhã do dia 16, o Mestre em Ciências Contábeis pela UFRJ Carlos Eduardo Ribeiro discorrerá sobre o Plano de contas aplicado ao setor público. Em seguida, o chefe da Controladoria Geral da União na PB, Fábio Araújo, abordará os Controles internos primários como caminho para eficiência de gestão.
Outros temas
À tarde, será a vez de o Doutorando em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília, Antônio Firmino Neto, proferir palestra acerca das Demonstrações contábeis sob a perspectiva das Ipsa's e normas brasileiras técnicas aplicadas ao setor público. Após, o especialista em Finanças e Controladoria Arnaldo Duarte Ribeiro enfocará as Fraudes na contabilidade pública e a importãncia da implantação de uma controladoria municipal.
O terceiro e último dia do evento será aberto com uma palestra do contador, auditor e perito contábil Elinaldo Barbosa sobre A ética contábil e a prática da contabilidade criativa nas ações governamentais. Ainda na parte da manhã, o tema "Entendendo resultados primário e nominal", será explanado pelo professor Paulo Henrique Feijó. À tarde, as últimas palestras caberão aos professores Diogo Barbosa e Joaquim Osório Liberalquino, respectivamente, sobre "Síntese das alterações na classificação da despesa para aquisições de materiais, softwares e serviços" e "A crise brasileira e a contabilidade pública".


cartaz-programacao-telefones-corrigidos

http://crcpb.org.br/wp-content/uploads/2015/06/cartaz-programacao-telefones-corrigidos1.jpg

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É possível aproveitar créditos de PIS e COFINS na aquisição do MEI?

Dentre as diversas dúvidas que surgem na apuração do PIS e da COFINS está a possibilidade de aproveitamento de créditos em relação às aquisições de Microempreendedores Individuais - MEI, uma vez que estes contribuintes são beneficiados com isenção, ficando obrigados apenas ao recolhimento de valores fixos mensais correspondentes à contribuição previdenciária, ao ISS e ao ICMS.
Neste artigo, pretendo esclarecer está dúvida e aprofundar um pouco mais a análise sobre o perfil do Microempreendedor Individual.
Quem é o Microempreendedor Individual?
Por meio da Lei Complementar n° 123/2006, que instituiu o Simples Nacional, surgiu a figura do Microempreendedor Individual – MEI, uma espécie de subdivisão do regime unificado, com o objetivo de trazer à formalidade pequenos empreendedores, para os quais, mesmo o Simples seria de difícil cumprimento.
Somente poderá ser enquadrado como MEI, o empresário a que se refere o artigo 966 do Código Civil, ou seja, aqueles que não constituíram sociedade…

AS 5 PRINCIPAIS CAUSAS DE ESTOQUE NEGATIVO OU SUPERFATURADO

O controle de estoque é um gargalo para as empresas que trabalham com mercadorias. Mesmo controlando o estoque com inventários periódicos as empresas correm o risco de serem autuadas pelos FISCOS, uma vez que nem sempre o estoque contabilizado pela empresa representa o seu real estoque. Partindo dessa análise pode-se dizer que as empresas possuem pelo menos três inventários que quase sempre não se equivalem. O primeiro é o inventário realizado pela contagem física de todos os produtos do estabelecimento. O segundo inventário é fornecido pelo sistema de gestão (ERP). Por fim, tem-se o INVENTÁRIO FISCAL que é o quantitativo que o FISCO espera que a empresa possua.

E COMO O FISCO CALCULA ESSE ESTOQUE?
O cálculo é feito pela fórmula matemática onde [ESTOQUE INICIAL] + [ENTRADAS] deve ser igual [SAÍDAS] + [ESTOQUE FINAL]. Ocorrendo divergências pode-se encontrar Omissão de Entrada ou Omissão de Saída (Receita). A previsão legal para tal auditoria encontra-se no Artigo 41, da Lei Federal nº…

O futuro dos escritórios de contabilidade

Ao buscar um profissional para integrar seus quadros, a Berti Contadores Associados recebeu três ex-proprietários de pequenos escritórios de contabilidade que desistiram de atuar por conta própria.
A situação reflete as dificuldades enfrentadas pelos pequenos empresários, diante da maior necessidade de conhecimento técnico e de gestão e investimentos em tecnologia, avalia o sócio da Berti e presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis (Fenacon), Mario Berti.
O cenário atual leva muitas empresas a buscar associações, parcerias, ou mesmo novos modelos de negócios. “Há associações para aproveitar a expertise de cada empresa e juntas atravessar essa turbulência de mercado”, afirma o presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Estado de São Paulo (Sescon-SP), Márcio Shimomoto.
As parcerias existem há algum tempo, as fusões estão acontecendo e as redes aumentam o número de filiados, confirma  o vice-presidente técnico do Conselho Federal de Contabil…