Pular para o conteúdo principal

Por que lavagem de dinheiro é crime?

Pilha de dinheiro


O termo “lavagem de dinheiro”, como sugere, se aplica a todo dinheiro que, adquirido de forma ilícita, é “sujo”. E que, portanto, deve ser “lavado” para se tornar “limpo”.

A expressão começou a ficar popular por causa do mafioso Al Capone, que comprou uma rede de lavanderias durante a chamada Lei Seca, justamente para isso: “limpar” as quantias ganhas por meio da venda de bebidas alcoólicas, atividade proibida à época.

Não que ele lavasse literalmente seu dinheiro nas máquinas, é claro. Essa foi uma forma encontrada por ele de investir dinheiro conquistado com crimes em atividade considerada legal. E, consequentemente, foi uma maneira de tentar enganar as autoridades responsáveis.

Algum tempo depois, quando foi iniciado o processo de impeachment contra o presidente americano Richard Nixon, a chamada “lavagem de dinheiro” se tornou ainda mais popular. Buscava-se rastrear os recursos que foram usados de forma ilegal na campanha política do então candidato do Partido Republicano. Ou seja, o dinheiro que havia sido “lavado”.

Hoje em dia, passado tanto tempo, por todo o mundo, pouco mudou: existem várias atividades proibidas em quase todos os países, que movimentam valores altíssimos. Por exemplo: tráfico de drogas, armas, órgãos, etc. O termo “lavar dinheiro” é aplicado sempre que o criminoso, tal qual Al Capone, tenta aplicar as quantias vindas destas atividades, ilegais, em outros segmentos, legais.

No Brasil, aliás, vivemos período histórico. Grande processo de “lavagem de dinheiro” foi descoberto com a Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Valores exorbitantes foram movimentados, envolvendo setores públicos e privados, políticos e empresários. No entanto, nem serviços foram prestados com essas operações tampouco documentos fiscais foram emitidos.

Vale destacar: existem hoje mecanismos já instalados, envolvendo bancos e contadores, com o intuito de limitar este tipo de transação. Por exemplo, não podemos fazer depósitos em espécie, em qualquer conta bancária, superiores a 10 mil reais, sem identificar o depositante e a origem do dinheiro.

O objetivo principal de medidas do tipo? Rastrear todas as transações e evitar o tão badalado crime de “lavagem de dinheiro” – que, como buscamos demonstrar aqui, nada mais é que enganar a sociedade com o uso de dinheiro, conquistado com crimes, em negócios não criminosas.

Texto elaborado por G. Jacintho Consultoria

Do Porque.com.br

Fonte: Exame.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fisco notifica empresas do Simples para buscar quase R$ 1 bi em tributos atrasados

Serão cobradas omissões de 2014 e 2015
A Secretaria da Receita Federal informou que vai notificar nesta semana, por meio da página do Simples Nacional na internet, 2.189 empresas inscritas no programa para quitarem quase R$ 1 bilhão em tributos devidos. O alerta é fruto de uma ação integrada com fiscos estaduais e municipais.
Segundo o subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Iágaro Martins, as empresas serão notificadas quando elas entrarem no site do Simples Nacional para gerar a guia de recolhimento do imposto devido, procedimento que elas têm de fazer todos os meses. Antes de conseguirem gerar a guia, serão informadas pelo órgão sobre as divergências.
As empresas do Simples notificadas terão até o fim de setembro para regularizarem sua situação. Se não o fizerem até lá, os fiscos federal, estaduais e municipais envolvidos na operação avaliarão o resultado do projeto e identificarão os casos indicados para "abertura de procedimentos fiscais" - nos quais são cobra…

AS 5 PRINCIPAIS CAUSAS DE ESTOQUE NEGATIVO OU SUPERFATURADO

O controle de estoque é um gargalo para as empresas que trabalham com mercadorias. Mesmo controlando o estoque com inventários periódicos as empresas correm o risco de serem autuadas pelos FISCOS, uma vez que nem sempre o estoque contabilizado pela empresa representa o seu real estoque. Partindo dessa análise pode-se dizer que as empresas possuem pelo menos três inventários que quase sempre não se equivalem. O primeiro é o inventário realizado pela contagem física de todos os produtos do estabelecimento. O segundo inventário é fornecido pelo sistema de gestão (ERP). Por fim, tem-se o INVENTÁRIO FISCAL que é o quantitativo que o FISCO espera que a empresa possua.

E COMO O FISCO CALCULA ESSE ESTOQUE?
O cálculo é feito pela fórmula matemática onde [ESTOQUE INICIAL] + [ENTRADAS] deve ser igual [SAÍDAS] + [ESTOQUE FINAL]. Ocorrendo divergências pode-se encontrar Omissão de Entrada ou Omissão de Saída (Receita). A previsão legal para tal auditoria encontra-se no Artigo 41, da Lei Federal nº…

É possível aproveitar créditos de PIS e COFINS na aquisição do MEI?

Dentre as diversas dúvidas que surgem na apuração do PIS e da COFINS está a possibilidade de aproveitamento de créditos em relação às aquisições de Microempreendedores Individuais - MEI, uma vez que estes contribuintes são beneficiados com isenção, ficando obrigados apenas ao recolhimento de valores fixos mensais correspondentes à contribuição previdenciária, ao ISS e ao ICMS.
Neste artigo, pretendo esclarecer está dúvida e aprofundar um pouco mais a análise sobre o perfil do Microempreendedor Individual.
Quem é o Microempreendedor Individual?
Por meio da Lei Complementar n° 123/2006, que instituiu o Simples Nacional, surgiu a figura do Microempreendedor Individual – MEI, uma espécie de subdivisão do regime unificado, com o objetivo de trazer à formalidade pequenos empreendedores, para os quais, mesmo o Simples seria de difícil cumprimento.
Somente poderá ser enquadrado como MEI, o empresário a que se refere o artigo 966 do Código Civil, ou seja, aqueles que não constituíram sociedade…