Pular para o conteúdo principal

Ingredientes do Sucesso A Sobrevivência da micro-empresa!

Você é dono de uma pequena empresa? Você está pensando como começar um pequeno negócio? Está indeciso sobre como conduzir seu empreendimento?

Se você respondeu sim para alguma das questões acima, então você precisa levar em conta alguns pontos cruciais que podem determinar o sucesso ou o fracasso do seu empreendimento.

As estatísticas mostram que a grande parte dos pequenos negócios vão a falência nos primeiros cinco anos de operação. 

Se você seguir alguns dos preceitos listados abaixo, certamente ajudará a reduzir a estatística de insucesso. São conselhos, que a princípio pode parecer óbvio, porém é sempre bom lembrá-los.

Pense como se fosse fazer um bolo. Se você não seguir a receita adequadamente o resultado não será bom. O mesmo pode ser aplicado aos negócios, abaixo listo alguns dos muitos ingredientes para ajudar você realizar seus negócios de forma mais clara e concisa.


Produto / Serviço

Você tem que ter algo muito bem definido e muito bom para vender seja um produto ou serviço ou os dois juntos. Este é o elemento básico da existência de sua empresa. A lógica recai para a escolha daquilo que você faz de melhor, que você entende e que você é mestre. Você não pode começar um negócio somente porque é moda, ou porque você percebe que outros estão se dando bem com este ramo de atividade. Pense antes de tudo que o sucesso só vem para aquilo que se faz bem feito e que você realmente gosta e pode se dedicar plenamente.


Plano de Negócio

Todos os negócios bem sucedidos são planejados meticulosamente, isto é, e baseado num plano de negócio. Neste plano estão as principais estratégias e onde está definido o mapa que lhe guiará no futuro.

O Plano de ação tem que ser claro e conciso, tem que deixar explícito como você está agora e para onde você quer ir. O plano não dever ser rígido, fechado, deve ser maleável o suficiente para poder deixar alternativas caso o empreendimento corra algum risco. Busque a ajuda de profissionais do ramo para ajudar você a compor um bom plano. O plano não deve se guardado na prateleira ou gaveta, use-o a todo o momento.


Dedicação

Todo negócio deve ser encarado seriamente e requer que você se dedique 24 horas por dia. Como a sua empresa é você, tudo o que lhe afeta certamente irá afetar a empresa, a linha divisória entre você e a sua empresa é tênue.

A atividade de sua empresa pode ser estressante, porém com determinação e arrojo você pode transformar dias estafantes em dias de prazer na frente dos negócios. Nunca se esqueça que a empresa não é somente tijolos, produtos, mercadorias, serviços, etc., é antes de tudo pessoas.


Clientes

Se você não tem cliente você não terá venda, sem venda você não terá lucro e não será remunerado. Deixe claro que na sua empresa o cliente realizará os desejos, sonhos e necessidades. Nunca tente empurrar produto para seus clientes, ao contrário indique a eles: soluções. Procure descobrir em seus clientes quais são suas reais necessidades e use esta informação para que o cliente veja em você a solução para o seu dia-a-dia.


Tecnologia

Use e abuse da tecnologia para suportar o seu negócio e facilitar a vida dos seus clientes. Automatize os processos da sua empresa, por exemplo: Processo de armazenamento; sistema de caixa; layout da loja ou escritório; crie um site na internet para divulgar, orientar e informar; crie um ambiente onde o cliente se sinta bem e queira voltar sempre.



Publicidade

Para a sobrevivência dos seus negócios as pessoas devem saber que ele existe o que ele faz, qual é o seu propósito. A melhor forma de fazer isto é a publicidade, pois como se diz "a propaganda é a alma do negócio". Não há necessidade de ter verba altíssima para tal, basta um pouco de criatividade. E bom sempre ter no seu plano de ação um orçamento e uma estratégia definida para propaganda e marketing.



Relacionamento

Nunca se esqueça que cliente satisfeito e aquele que sempre voltará adquirir seu produto. Ele deve ser cuidado e preservado. Para fazer isto você deve sempre ouvir o que ele tem a dizer, uma das formas de se fazer isto é o que chamamos de pesquisa de satisfação, onde os clientes podem sugerir melhorias, criticar, elogiar e até mesmos pedir inclusão ou exclusão de produtos e serviços.

Outra forma de preservar cliente é sondar o que a concorrência está fazendo para também manter os seus clientes.



Empregados

Toda empresa tem empregados, mesmo que seja um. Um empregado desmotivado e mal pago pode levar seu negócio para o buraco. Crie um ambiente de descontração para seus funcionários, faça o ato de trabalhar se torne divertido. Estabeleça horário de lazer, aprendizado, etc e crie um ambiente próximo àquele encontrado na família.



Controle das Finanças

Todos os negócios têm que ter um sistema para controlar as finanças. Os processos de contas a pagar, contas a receber, fluxo de caixa, estoque, requerem que você tenha alguém ou um sistema para fazer isto. O sucesso do seu empreendimento está ligado diretamente o nível de controle que você tem sobre o objeto operacional de sua empresa. Nunca se esqueça que manter tudo na ponta do lápis é imprescindível para que não haja surpresas na gestão.



Aspectos legais e fiscais

Nunca relaxe nos aspectos legais e fiscais do seu empreendimento, pague todas as taxas requeridas, mantenha a vista todos os alvarás. Crie um arquivo onde você possa ter acesso rápido a todos os documentos sobre a abertura e funcionamento de sua empresa.



CONCLUSÃO

Ser um empresário não é uma tarefa fácil, mais isto pode ser minimizado se você seguir algumas regras como as listadas acima. Manter tudo sob controle, fazer aquilo que sabe e gosta, criar intimidade e relação amigável com o cliente, estar em dia com suas obrigações, certamente trará longevidade para seu empreendimento, além do lucro é claro.

Lauro Jorge Prado

Fonte: Linkedin.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É possível aproveitar créditos de PIS e COFINS na aquisição do MEI?

Dentre as diversas dúvidas que surgem na apuração do PIS e da COFINS está a possibilidade de aproveitamento de créditos em relação às aquisições de Microempreendedores Individuais - MEI, uma vez que estes contribuintes são beneficiados com isenção, ficando obrigados apenas ao recolhimento de valores fixos mensais correspondentes à contribuição previdenciária, ao ISS e ao ICMS.
Neste artigo, pretendo esclarecer está dúvida e aprofundar um pouco mais a análise sobre o perfil do Microempreendedor Individual.
Quem é o Microempreendedor Individual?
Por meio da Lei Complementar n° 123/2006, que instituiu o Simples Nacional, surgiu a figura do Microempreendedor Individual – MEI, uma espécie de subdivisão do regime unificado, com o objetivo de trazer à formalidade pequenos empreendedores, para os quais, mesmo o Simples seria de difícil cumprimento.
Somente poderá ser enquadrado como MEI, o empresário a que se refere o artigo 966 do Código Civil, ou seja, aqueles que não constituíram sociedade…

AS 5 PRINCIPAIS CAUSAS DE ESTOQUE NEGATIVO OU SUPERFATURADO

O controle de estoque é um gargalo para as empresas que trabalham com mercadorias. Mesmo controlando o estoque com inventários periódicos as empresas correm o risco de serem autuadas pelos FISCOS, uma vez que nem sempre o estoque contabilizado pela empresa representa o seu real estoque. Partindo dessa análise pode-se dizer que as empresas possuem pelo menos três inventários que quase sempre não se equivalem. O primeiro é o inventário realizado pela contagem física de todos os produtos do estabelecimento. O segundo inventário é fornecido pelo sistema de gestão (ERP). Por fim, tem-se o INVENTÁRIO FISCAL que é o quantitativo que o FISCO espera que a empresa possua.

E COMO O FISCO CALCULA ESSE ESTOQUE?
O cálculo é feito pela fórmula matemática onde [ESTOQUE INICIAL] + [ENTRADAS] deve ser igual [SAÍDAS] + [ESTOQUE FINAL]. Ocorrendo divergências pode-se encontrar Omissão de Entrada ou Omissão de Saída (Receita). A previsão legal para tal auditoria encontra-se no Artigo 41, da Lei Federal nº…

O futuro dos escritórios de contabilidade

Ao buscar um profissional para integrar seus quadros, a Berti Contadores Associados recebeu três ex-proprietários de pequenos escritórios de contabilidade que desistiram de atuar por conta própria.
A situação reflete as dificuldades enfrentadas pelos pequenos empresários, diante da maior necessidade de conhecimento técnico e de gestão e investimentos em tecnologia, avalia o sócio da Berti e presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis (Fenacon), Mario Berti.
O cenário atual leva muitas empresas a buscar associações, parcerias, ou mesmo novos modelos de negócios. “Há associações para aproveitar a expertise de cada empresa e juntas atravessar essa turbulência de mercado”, afirma o presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Estado de São Paulo (Sescon-SP), Márcio Shimomoto.
As parcerias existem há algum tempo, as fusões estão acontecendo e as redes aumentam o número de filiados, confirma  o vice-presidente técnico do Conselho Federal de Contabil…