Pular para o conteúdo principal

Mundo Digital | Surge o primeiro trojan brasileiro com certificado


Rafael Silva

A Kaspersky, empresa de software de segurança, divulgou hoje a descoberta de um trojan bancário único. Segundo Fábio Assolini, especialista da Kaspersky que divulgou o trojan, esse é o primeiro vírus bancário assinado digitalmente e criado por crimonosos brasileiros. A técnica é usada bastante lá fora mas essa é a primeira vez que é vista dentro das fronteiras brasileiras e atacando especificamente bancos do país.

Como o nome já sugere, um trojan bancário é um tipo de vírus criado especificamente para se passar por uma ferramenta de banco, sendo distribuído através de emails falsos para, assim, capturar dados do usuário. Um certificado digital nesse tipo de trojan passa uma confiança maior e por isso há uma grande chance do usuário cair no golpe.



Certificado usado no trojan | Crédito: Kaspersky

Segundo Fábio, o certificado foi revogado em 13 de junho, 15 dias após sua emissão. Isso foi tempo o suficiente para os criminosos criarem um email falso de um banco e tentarem infectar usuários, algo que o especialista diz que infelizmente aconteceu. A primeira detecção desse trojan pela Kaspersky foi no dia 6 de julho, mas apenas agora sua existência foi divulgada. Ao conversar por telefone com Fábio, ele não quis revelar qual banco foi usado no golpe, já que não faz diferença para o usuário.
A responsável por emitir o certificado é uma CA, ou autoridade certificadora. Enquanto algumas CAs verificam a autenticidade da empresa para a qual está emitindo o certificado ligando para um telefone, nem todas fazem isso. Nesse caso, o certificado foi emitido pela COMODO, uma CA que não tem exatamente o melhor registro de confiança – no ano passado uma das suas subsidiárias teve seus servidores invadidos e usados para emitir nove certificados falsos.

Também existe a possibilidade da CA ter sido enganada pelo domínio falso registrado pelo autor do trojan, que é bem parecido com o de outra empresa de software conhecida. Ainda assim, é uma falha de segurança séria por parte da Comodo. A Kaspersky diz que os dados do domínio usado para a emissão do certificado são todos falsos – incluindo o endereço em Vitória e o telefone de Pernambuco.

Para evitar cair nesse tipo de golpe, Fábio aconselha o uso do desconfiômetro: não acredite em emails enviados por bancos. O segundo conselho é manter os plugins e navegadores atualizados, no caso do Java (que teve problemas de segurança recente), ele vai até além e aconselha desativá-lo quando não estiver em uso. E por fim, o uso de um anti-virus atualizado é extremamente recomendado.

Fonte: www.rtupinamba.blogspot.com.br

Veja Também:


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É possível aproveitar créditos de PIS e COFINS na aquisição do MEI?

Dentre as diversas dúvidas que surgem na apuração do PIS e da COFINS está a possibilidade de aproveitamento de créditos em relação às aquisições de Microempreendedores Individuais - MEI, uma vez que estes contribuintes são beneficiados com isenção, ficando obrigados apenas ao recolhimento de valores fixos mensais correspondentes à contribuição previdenciária, ao ISS e ao ICMS.
Neste artigo, pretendo esclarecer está dúvida e aprofundar um pouco mais a análise sobre o perfil do Microempreendedor Individual.
Quem é o Microempreendedor Individual?
Por meio da Lei Complementar n° 123/2006, que instituiu o Simples Nacional, surgiu a figura do Microempreendedor Individual – MEI, uma espécie de subdivisão do regime unificado, com o objetivo de trazer à formalidade pequenos empreendedores, para os quais, mesmo o Simples seria de difícil cumprimento.
Somente poderá ser enquadrado como MEI, o empresário a que se refere o artigo 966 do Código Civil, ou seja, aqueles que não constituíram sociedade…

AS 5 PRINCIPAIS CAUSAS DE ESTOQUE NEGATIVO OU SUPERFATURADO

O controle de estoque é um gargalo para as empresas que trabalham com mercadorias. Mesmo controlando o estoque com inventários periódicos as empresas correm o risco de serem autuadas pelos FISCOS, uma vez que nem sempre o estoque contabilizado pela empresa representa o seu real estoque. Partindo dessa análise pode-se dizer que as empresas possuem pelo menos três inventários que quase sempre não se equivalem. O primeiro é o inventário realizado pela contagem física de todos os produtos do estabelecimento. O segundo inventário é fornecido pelo sistema de gestão (ERP). Por fim, tem-se o INVENTÁRIO FISCAL que é o quantitativo que o FISCO espera que a empresa possua.

E COMO O FISCO CALCULA ESSE ESTOQUE?
O cálculo é feito pela fórmula matemática onde [ESTOQUE INICIAL] + [ENTRADAS] deve ser igual [SAÍDAS] + [ESTOQUE FINAL]. Ocorrendo divergências pode-se encontrar Omissão de Entrada ou Omissão de Saída (Receita). A previsão legal para tal auditoria encontra-se no Artigo 41, da Lei Federal nº…

O futuro dos escritórios de contabilidade

Ao buscar um profissional para integrar seus quadros, a Berti Contadores Associados recebeu três ex-proprietários de pequenos escritórios de contabilidade que desistiram de atuar por conta própria.
A situação reflete as dificuldades enfrentadas pelos pequenos empresários, diante da maior necessidade de conhecimento técnico e de gestão e investimentos em tecnologia, avalia o sócio da Berti e presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis (Fenacon), Mario Berti.
O cenário atual leva muitas empresas a buscar associações, parcerias, ou mesmo novos modelos de negócios. “Há associações para aproveitar a expertise de cada empresa e juntas atravessar essa turbulência de mercado”, afirma o presidente do Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis do Estado de São Paulo (Sescon-SP), Márcio Shimomoto.
As parcerias existem há algum tempo, as fusões estão acontecendo e as redes aumentam o número de filiados, confirma  o vice-presidente técnico do Conselho Federal de Contabil…