Pular para o conteúdo principal

Contabilidade é apontada como carreira de destaque em 2015

Especialistas alertam que, para suprir a demanda do mercado, profissionais devem investir em qualificação.

O ano começou com o País se preparando para mudanças significativas no cenário econômico e, para que as empresas se sobressaiam nesse contexto, precisam de profissionais que saibam alavancar lucros, controlar gastos e melhorar a execução de operações. Mesmo instável, o contexto favorece algumas profissões que são fundamentais para que as organizações consigam contornar dificuldades financeiras. Segundo a empresa de recrutamento especializado, Robert Half, a área de finanças e contabilidade está no topo da lista das profissões em alta para 2015.

Ainda de acordo com especialistas da Robert Half, a carreira de contabilidade necessita de profissionais que tenham o perfil de negócios e que sejam altamente especializados. A área jurídica também faz parte da lista de profissões promissoras e carece de conhecimento em economia e finanças.

“Existe uma carência absurda de profissionais qualificados no mercado. Basta pesquisar o quanto a média salarial dos profissionais de contabilidade cresceu para se ter uma referência desta carência. E, em 2015, isso continua muito forte”, afirma o coordenador do MBA Contabilidade e Direito Tributário do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG), Edgar Madruga.


O advogado Winder Garcia percebeu essa demanda por profissionais na área de contabilidade e atua no mercado há três anos. Para ser competitivo, cursa a segunda especialização. Devido ao quadro de professores, que possuem mais de 15 anos de formação, e a tendência digital Winder optou pelo MBA Contabilidade e Direito Tributário no IPOG.

“Eu procuro me colocar no mercado em um lugar de destaque e, para isso, sempre me atualizo. Com certeza, a educação é a chave para as conquistas”, compartilha Garcia.


Especialização

Com o propósito de contribuir para a formação de profissionais disputados no mercado, o IPOG inaugura, no dia 6 de fevereiro, a 7ª turma do MBA Contabilidade e Direito Tributário.

“Conhecimento é fundamental e uma pós-graduação no padrão desta instituição auxilia fortemente o aluno a realizar seu sonho de manifestar suas competências inatas. Vivemos a era do conhecimento e aprender a lidar melhor com este cenário é fundamental. Temos diversos exemplos de alunos deste curso que tiveram um impacto positivo em suas carreiras com este MBA, o que nos deixa muito feliz”, compartilha Madruga.

Contabilidade, tributação e obrigações digitais são alguns dos temas abordados na especialização. A pós-graduação também aborda gestão de tributos de forma estratégia.

Segundo o coordenador, o curso é voltado totalmente para a parte prática e apresenta uma matriz curricular inédita no mercado: “O objetivo principal é que, a cada fim de semana de aula, já na segunda-feira, o aluno tenha algo a aplicar no seu dia a dia profissional. Outro pilar é a qualidade dos professores, com profissionais de referência em sua especialidade, com sólida formação acadêmica e que trabalham nas atividades que lecionam de mercado”.

O MBA atenderá profissionais da área de Direito, Contabilidade, Administração e Tecnologia da Informação e todos que diretamente ou indiretamente tenham interesse na influência dos tributos nas atividades empresariais e próprias. Informações: 3945-5050

Fonte: IPOG

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fisco notifica empresas do Simples para buscar quase R$ 1 bi em tributos atrasados

Serão cobradas omissões de 2014 e 2015
A Secretaria da Receita Federal informou que vai notificar nesta semana, por meio da página do Simples Nacional na internet, 2.189 empresas inscritas no programa para quitarem quase R$ 1 bilhão em tributos devidos. O alerta é fruto de uma ação integrada com fiscos estaduais e municipais.
Segundo o subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Iágaro Martins, as empresas serão notificadas quando elas entrarem no site do Simples Nacional para gerar a guia de recolhimento do imposto devido, procedimento que elas têm de fazer todos os meses. Antes de conseguirem gerar a guia, serão informadas pelo órgão sobre as divergências.
As empresas do Simples notificadas terão até o fim de setembro para regularizarem sua situação. Se não o fizerem até lá, os fiscos federal, estaduais e municipais envolvidos na operação avaliarão o resultado do projeto e identificarão os casos indicados para "abertura de procedimentos fiscais" - nos quais são cobra…

É possível aproveitar créditos de PIS e COFINS na aquisição do MEI?

Dentre as diversas dúvidas que surgem na apuração do PIS e da COFINS está a possibilidade de aproveitamento de créditos em relação às aquisições de Microempreendedores Individuais - MEI, uma vez que estes contribuintes são beneficiados com isenção, ficando obrigados apenas ao recolhimento de valores fixos mensais correspondentes à contribuição previdenciária, ao ISS e ao ICMS.
Neste artigo, pretendo esclarecer está dúvida e aprofundar um pouco mais a análise sobre o perfil do Microempreendedor Individual.
Quem é o Microempreendedor Individual?
Por meio da Lei Complementar n° 123/2006, que instituiu o Simples Nacional, surgiu a figura do Microempreendedor Individual – MEI, uma espécie de subdivisão do regime unificado, com o objetivo de trazer à formalidade pequenos empreendedores, para os quais, mesmo o Simples seria de difícil cumprimento.
Somente poderá ser enquadrado como MEI, o empresário a que se refere o artigo 966 do Código Civil, ou seja, aqueles que não constituíram sociedade…

AS 5 PRINCIPAIS CAUSAS DE ESTOQUE NEGATIVO OU SUPERFATURADO

O controle de estoque é um gargalo para as empresas que trabalham com mercadorias. Mesmo controlando o estoque com inventários periódicos as empresas correm o risco de serem autuadas pelos FISCOS, uma vez que nem sempre o estoque contabilizado pela empresa representa o seu real estoque. Partindo dessa análise pode-se dizer que as empresas possuem pelo menos três inventários que quase sempre não se equivalem. O primeiro é o inventário realizado pela contagem física de todos os produtos do estabelecimento. O segundo inventário é fornecido pelo sistema de gestão (ERP). Por fim, tem-se o INVENTÁRIO FISCAL que é o quantitativo que o FISCO espera que a empresa possua.

E COMO O FISCO CALCULA ESSE ESTOQUE?
O cálculo é feito pela fórmula matemática onde [ESTOQUE INICIAL] + [ENTRADAS] deve ser igual [SAÍDAS] + [ESTOQUE FINAL]. Ocorrendo divergências pode-se encontrar Omissão de Entrada ou Omissão de Saída (Receita). A previsão legal para tal auditoria encontra-se no Artigo 41, da Lei Federal nº…