4 de jul de 2015

A grande FALÁCIA da mudança do Supersimples!!!

Com um misto de surpresa e indignação tivemos acesso ao teor da proposta que faz grandes alterações no regime tributário chamado de Supersimples.

Dentre os considerandos do texto percebemos trechos que citam “uma melhor equação para a carga tributária decorrente das tabelas hoje”, “um tratamento diferenciado em favor do pequeno” sendo tratado no mesmo texto como o foco principal do projeto.

Este seria um bom projeto e uma excelente iniciativa, caso os legisladores mantivessem as faixas de tributação anteriores, mas no atual projeto elas caíram de 20 para 7 faixas apenas.

A cortina de fumaça aonde se alardeia um aumento dos limites para que as empresas possam aderir ao regime, esconde um terrível equivoco a qual os empresários podem sucumbir ao cair nesta verdadeira “arapuca tributária”.

Vejamos um exemplo: Se uma empresa que estivesse perto do limite permitido pelo Supersimples antes de sua alteração com um faturamento hipotético de R$ 3.500.000,00 enquadrada no Anexo III – esta empresa estaria sujeita a uma alíquota de 17,42% o que representaria um valor à recolher de R$ 609.700,00.

Já na nova modalidade proposta esta mesma empresa estaria sujeita a uma alíquota de 29,45%!!! É bem verdade que institui-se uma sistemática parecida com o Imposto de Renda da Pessoa Física aonde criou-se uma coluna de dedução, a qual neste nosso exemplo traz o valor de R$ 35.709,38.

Mas mesmo assim o aumento da carga é evidente, senão vejamos:

R$ 3.500.000,00 x 29,45% = R$ 1.030,750,00 – R$ 35.709,38 = R$ 995.040,62

Um aumento de R$ 385.340,62!!!

Desta feita, caso este projeto avance, recomendamos aos empresários que estudem seus casos em particular e vejam qual será o melhor regime para se adotar.

Nunca é demais lembrar que um planejamento tributário bem feito traz às empresas, de forma lícita, um enquadramento mais adequado à cada perfil empresarial, evitando por exemplo, armadilhas como esta.

Em caso de dúvidas nos procure! Marque uma reunião! Estamos à disposição!

Equipe Lopes & Nóbrega

Fonte: Lopes & Nóbrega Consultoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhando idéias e experiências sobre o cenário tributário brasileiro, com ênfase em Gestão Tributária; Tecnologia Fiscal; Contabilidade Digital; SPED e Gestão do Risco Fiscal. Autores: Edgar Madruga e Fabio Rodrigues.

MBA EM CONTABILIDADE E DIREITO TRIBUTÁRIO DO IPOG

Turmas presenciais em andamento em todo o Brasil: AC – Rio Branco | AL – Maceió | AM – Manaus | AP - Macapá | BA- Salvador | DF – Brasília | ES – Vitória | CE – Fortaleza | GO – Goiânia | MA - Imperatriz / São Luís | MG – Belo Horizonte / Uberlândia | MS - Campo Grande | MT – Cuiabá | PA - Belém / Marabá / Parauapebas / Santarem | PB - João Pessoa | PE – Recife | PI – Teresina | PR – Curitiba/ Foz do Iguaçu/Londrina | RJ - Rio de Janeiro | RN – Natal | RO - Porto Velho | RR - Boa Vista | RS - Porto Alegre | SC – Florianópolis/Joinville | SP - Piracicaba/Ribeirão Preto | TO – Palmas

Fórum SPED

Fórum SPED