Pular para o conteúdo principal

Receita Federal usa certificado digital para simplificar a declaração do IR

Dados dos clientes são armazenados em servidores digitais protegidos
Quem tiver o certificado terá todos os dados preenchidos automaticamente




O prazo para a entrega da declaração do Imposto de Renda neste ano já está aberto. Desta vez, os brasileiros começam a conhecer uma opção mais ágil para acertar as contas com o leão. RG, CPF, comprovante de residência, escolha de senhas, registro de biometria, pagamento de taxa. Tudo para autenticar o chamado certificado digital. “Vale a pena a organização porque, se for olhar, é dinheiro”, diz o cineasta Marcos Melo.

O certificado digital é como uma assinatura reconhecida em cartório, só que na internet . Isso prova de que você é você mesmo. Quem regulamenta é o Instituto de Tecnologia da Informação, ligado ao ministério da Casa Civil. Além disso, poucas empresas estão autorizadas a emitir esse carimbo online.

Segurança é uma das exigências que o Instituto de Tecnologia da Informação faz às autoridades certificadoras. Os dados dos clientes são armazenados em servidores que ficam numa sala cofre a cinco portas, sendo três delas de aço. Nesses sistemas, só passam técnicos autorizados e identificados por biometria.

Neste ano, a Receita Federal decidiu usar a ferramenta para as declarações de Imposto de Renda. Para quem já tiver o certificado, a Receita vai preencher automaticamente alguns dados da declaração, aqueles já informados pelas empresas empregadoras.

A novidade traz agilidade e segurança na declaração, segundo as empresas certificadoras. “Você já sabe o que está na base da Receita e evita aquela situação em que, às vezes, pode ter um erro de digitação ou até mesmo receber um comprovante com informação equivocada. Aí você acaba fornecendo uma informação diferente do que a Receita recebeu”, explica Mariana Pinheiro presidente de identidade digital da Serasa.

“A ideia é que essa declaração, que está começando agora, se torne a principal declaração, com o contribuinte recebendo todas as informações e apenas conferindo esses dados e reenviando à Receita Federal”, diz Joaquim Adir, supervisor do Imposto de Renda/Receita Federal.

Assista o vídeo neste Link.

Renata Ribeiro
São Paulo, SP

Fonte: Jornal da globo via Certificação Digital.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É possível aproveitar créditos de PIS e COFINS na aquisição do MEI?

Dentre as diversas dúvidas que surgem na apuração do PIS e da COFINS está a possibilidade de aproveitamento de créditos em relação às aquisições de Microempreendedores Individuais - MEI, uma vez que estes contribuintes são beneficiados com isenção, ficando obrigados apenas ao recolhimento de valores fixos mensais correspondentes à contribuição previdenciária, ao ISS e ao ICMS.
Neste artigo, pretendo esclarecer está dúvida e aprofundar um pouco mais a análise sobre o perfil do Microempreendedor Individual.
Quem é o Microempreendedor Individual?
Por meio da Lei Complementar n° 123/2006, que instituiu o Simples Nacional, surgiu a figura do Microempreendedor Individual – MEI, uma espécie de subdivisão do regime unificado, com o objetivo de trazer à formalidade pequenos empreendedores, para os quais, mesmo o Simples seria de difícil cumprimento.
Somente poderá ser enquadrado como MEI, o empresário a que se refere o artigo 966 do Código Civil, ou seja, aqueles que não constituíram sociedade…

AS 5 PRINCIPAIS CAUSAS DE ESTOQUE NEGATIVO OU SUPERFATURADO

O controle de estoque é um gargalo para as empresas que trabalham com mercadorias. Mesmo controlando o estoque com inventários periódicos as empresas correm o risco de serem autuadas pelos FISCOS, uma vez que nem sempre o estoque contabilizado pela empresa representa o seu real estoque. Partindo dessa análise pode-se dizer que as empresas possuem pelo menos três inventários que quase sempre não se equivalem. O primeiro é o inventário realizado pela contagem física de todos os produtos do estabelecimento. O segundo inventário é fornecido pelo sistema de gestão (ERP). Por fim, tem-se o INVENTÁRIO FISCAL que é o quantitativo que o FISCO espera que a empresa possua.

E COMO O FISCO CALCULA ESSE ESTOQUE?
O cálculo é feito pela fórmula matemática onde [ESTOQUE INICIAL] + [ENTRADAS] deve ser igual [SAÍDAS] + [ESTOQUE FINAL]. Ocorrendo divergências pode-se encontrar Omissão de Entrada ou Omissão de Saída (Receita). A previsão legal para tal auditoria encontra-se no Artigo 41, da Lei Federal nº…

eSocial: 53 Dúvidas Respondidas por Zenaide Carvalho

Zenaide Cavarlho é uma das pessoas que admiro, contadora, administradora, especialista em Auditoria e Controladoria, pós-graduanda em Direito do Trabalho e em Pedagogia Empresarial. Professora de pós-graduação em Análise Tributária, ministro treinamentos na área trabalhista e previdenciária para empresas privadas e órgãos públicos em todo o país. Mantém um o site http://www.zenaidecarvalho.com.br. Ela responde uma série de dúvidas  que chegaram a ela por email no Seminário pela UNIFENACON.
eSocial – Dúvidas Respondidas (parte 4) 1) Existe alguma Instrução Normativa que fale sobre a obrigatoriedade e o prazo das empresas em fazerem o SPED – Folha e DCT-PREV? Zenaide:  Não. O que saiu até hoje (23/10/2013) foi o Ato Sufis 05/2013 em julho, disponível no site WWW.esocial.gov.br. Lá diz que a agenda será disponibilizada em ato específico (que ainda não foi publicado). 2) Tem alguma previsão sobre qual o cronograma de ingresso para as empresas sem fins lucrativos? Zenaide:  tem uma agenda e…