Pular para o conteúdo principal

Como fazer o rascunho do Imposto de Renda 2016 no celular

Fazer o rascunho do Imposto de Renda de Pessoa Física 2016 pode ser bem simples pelo seu celular. Basta fazer o o download do app IRPF 2016 no seu iPhone (iOS) ou smartphone com Android. O serviço grátis já foi disponibilizado para facilitar a organização de todos os dados necessários. O objetivo é que o contribuinte não tenha problema ao entregar a declaração do imposto de renda em março.

Na hora de preencher a declaração propriamente dita, basta o usuário importar os dados que estão no rascunho do app. Veja agora como fazer o rascunho do Imposto de Renda 2016 em seu celular.



Passo 1. Acesse a página do programa IRPF no TechTudo Downloads, escolha o sistema operacional do seu dispositivo móvel (Android e iOS) e faça o download do app em seu celular;

Passo 2. Localize o ícone do app IRPF em seu smartphone, abra-o e, logo em seguida, toque na opção “Rascunho”;



Passo 3. Toque no botão “Preencher rascunho”. Ao fazer isso, você será levado a uma página web, onde terá algumas informações. Leia com atenção e, em seguida, toque em “Fazer Rascunho”;



Passo 4. Digite o seu CPF e depois as letras e números que aparecem no CAPTCHA. Ao terminar, toque em “Avançar”. Depois toque em “Iniciar o Rascunho do IRPF 2016” e, em seguida, toque em “novo – totalmente zerado (com todos os campos em branco)”;



Passo 5. O rascunho do IRPF 2016 se divide em cinco áreas, a saber: Identificação; Informações de terceiros; Rendimentos; Pagamentos e Bens, Direitos, Dívidas e Ônus. Veja o que cada área abrange:

Identificação – campo para preenchimento da data de nascimento, ocupação, endereço, entre outros;

Informações de terceiros – permite incluir, alterar ou excluir um dependente ou alimentando na lista;

Rendimentos – permite incluir, alterar ou excluir rendimentos na lista;

Pagamentos – permite incluir, alterar ou excluir pagamentos e doações na lista;

Bens, Direitos, Dívidas e Ônus – permite incluir, alterar ou excluir bens, direitos, dívidas e ônus.

Vá abrindo essas áreas e preenchendo corretamente todos os campos existentes;



Passo 6. Quando quiser salvar o seu rascunho, toque no botão simbolizado por um disquete no canto superior direito. Você será levado para uma página que informará que será preciso criar uma “Palavra-Chave”, ou senha. Crie uma senha com oito caracteres (no mínimo), tendo, pelo menos, um número e uma letra maiúscula e depois toque em “Salvar Rascunho”. Após isso, você verá uma mensagem informando que o rascunho foi salvo com sucesso;



Passo 7. Para acessar o seu rascunho salvo, repita os passos 3 e 4 e depois toque em “Continuar preenchimento”, escolhendo a opção “de onde parou – a partir do último rascunho salvo” em seguida. Agora insira a Palavra-Chave e toque em “Recuperar rascunho”.



Pronto! Agora você pode dar continuidade ao seu rascunho do IRPF2016. Vale lembrar que a função rascunho só poderá ser editada até fevereiro. A partir de março, o usuário poderá apenas recuperar as informações e transportá-las para a declaração oficial. Portanto, é bom deixar tudo organizado até o mês de fevereiro.

Fonte: techtudo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fisco notifica empresas do Simples para buscar quase R$ 1 bi em tributos atrasados

Serão cobradas omissões de 2014 e 2015
A Secretaria da Receita Federal informou que vai notificar nesta semana, por meio da página do Simples Nacional na internet, 2.189 empresas inscritas no programa para quitarem quase R$ 1 bilhão em tributos devidos. O alerta é fruto de uma ação integrada com fiscos estaduais e municipais.
Segundo o subsecretário de Fiscalização da Receita Federal, Iágaro Martins, as empresas serão notificadas quando elas entrarem no site do Simples Nacional para gerar a guia de recolhimento do imposto devido, procedimento que elas têm de fazer todos os meses. Antes de conseguirem gerar a guia, serão informadas pelo órgão sobre as divergências.
As empresas do Simples notificadas terão até o fim de setembro para regularizarem sua situação. Se não o fizerem até lá, os fiscos federal, estaduais e municipais envolvidos na operação avaliarão o resultado do projeto e identificarão os casos indicados para "abertura de procedimentos fiscais" - nos quais são cobra…

É possível aproveitar créditos de PIS e COFINS na aquisição do MEI?

Dentre as diversas dúvidas que surgem na apuração do PIS e da COFINS está a possibilidade de aproveitamento de créditos em relação às aquisições de Microempreendedores Individuais - MEI, uma vez que estes contribuintes são beneficiados com isenção, ficando obrigados apenas ao recolhimento de valores fixos mensais correspondentes à contribuição previdenciária, ao ISS e ao ICMS.
Neste artigo, pretendo esclarecer está dúvida e aprofundar um pouco mais a análise sobre o perfil do Microempreendedor Individual.
Quem é o Microempreendedor Individual?
Por meio da Lei Complementar n° 123/2006, que instituiu o Simples Nacional, surgiu a figura do Microempreendedor Individual – MEI, uma espécie de subdivisão do regime unificado, com o objetivo de trazer à formalidade pequenos empreendedores, para os quais, mesmo o Simples seria de difícil cumprimento.
Somente poderá ser enquadrado como MEI, o empresário a que se refere o artigo 966 do Código Civil, ou seja, aqueles que não constituíram sociedade…

AS 5 PRINCIPAIS CAUSAS DE ESTOQUE NEGATIVO OU SUPERFATURADO

O controle de estoque é um gargalo para as empresas que trabalham com mercadorias. Mesmo controlando o estoque com inventários periódicos as empresas correm o risco de serem autuadas pelos FISCOS, uma vez que nem sempre o estoque contabilizado pela empresa representa o seu real estoque. Partindo dessa análise pode-se dizer que as empresas possuem pelo menos três inventários que quase sempre não se equivalem. O primeiro é o inventário realizado pela contagem física de todos os produtos do estabelecimento. O segundo inventário é fornecido pelo sistema de gestão (ERP). Por fim, tem-se o INVENTÁRIO FISCAL que é o quantitativo que o FISCO espera que a empresa possua.

E COMO O FISCO CALCULA ESSE ESTOQUE?
O cálculo é feito pela fórmula matemática onde [ESTOQUE INICIAL] + [ENTRADAS] deve ser igual [SAÍDAS] + [ESTOQUE FINAL]. Ocorrendo divergências pode-se encontrar Omissão de Entrada ou Omissão de Saída (Receita). A previsão legal para tal auditoria encontra-se no Artigo 41, da Lei Federal nº…