16 de jan de 2016

RS: Gasolina passa dos R$ 4 em pelo menos oito municípios gaúchos

O aumento do ICMS de 25 para 30% já refletiu no preço dos combustíveis em vários municípios gaúchos, segundo levantamento semanal realizado pela Associação Nacional do Petróleo (ANP). Do fim de 2015 e começo de 2016 para a segunda semana de janeiro, pelo menos oito cidades apresentam postos onde o preço médio do litro da gasolina ultrapassou os R$ 4.
Entre os 40 municípios pesquisados, Caçapava do Sul, na Campanha, é o lugar onde encher o tanque ficou mais salgado: o preço médio nos postos locais de 3 a 9 de janeiro foi R$ 4,20. Santana do Livramento, na Fronteira Oeste, teve a segunda média mais cara: R$ 4,18. Também na Campanha, Bagé apresentou o terceiro valor mais salgado, R$ 4,17. Também cruzaram a barreira dos R$ 4 postos de Alegrete, São Gabriel, Pelotas, Rio Grande e São Borja.
Pelo menos 12 municípios tiveram aumentos acima do estimado pelo Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes do Rio Grande do Sul (Sulpetro), de 7,6%:
— Fizemos uma estimativa do preço na saída da refinaria, mas na cadeia isso tem outras implicações, como o frete e o PIS/Cofins. O valor final fica a cargo da distribuidora e da revenda, que têm autonomia para administrar — justifica o diretor do Sulpetro, Adão Oliveira.
Conforme Oliveira, postos que ficam distantes das refinarias pagam taxas de frete mais caras, o que implica no preço repassado ao consumidor. Além disso, segundo o dirigente, a concorrência — ou falta dela — também interfere no valor final.
A Capital apresentou o 11º preço médio mais alto entre as cidades pesquisadas: R$ 3,95. O valor sofreu quase 8% de aumento em relação à semana anterior, quando a média era de R$ 3,67. O mais alto encontrado foi R$ 3,99, registrado em seis postos.
Embora não sejam necessariamente os mais caros, alguns municípios da Região Metropolitana estão entre os que tiveram os maiores aumentos. Gravataí foi a cidade onde o preço médio do combustível subiu mais: de R$ 3,50 para R$ 3,94, um aumento de 12,7%. Em Cachoeirinha, o valor médio saltou de 3,58 para 3,93, 9,8% a mais. Em Esteio, a gasolina foi de R$ 3,55 para R$ 3,84, um acréscimo de 8,4%.
Mesmo com o impacto do aumento do ICMS, é possível encontrar gasolina a menos de R$ 3,50 em pelo menos cinco cidades: Sapiranga, Bento Gonçalves, Guaíba, Osório e Novo Hamburgo, esta última a mais camarada para abastecer, segundo o levantamento: o preço médio do litro encontrado nos postos foi de R$ 3,40 de 3 a 9 de janeiro.
Em oito dos municípios pesquisados, o preço da gasolina apresentou queda. A maior delas ocorreu em Uruguaiana, cujo preço médio caiu de R$ 3,85 para R$ 3,78, cerca de 1,8%.
Fonte: Zero Hora via Mauro Negruni

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhando idéias e experiências sobre o cenário tributário brasileiro, com ênfase em Gestão Tributária; Tecnologia Fiscal; Contabilidade Digital; SPED e Gestão do Risco Fiscal. Autores: Edgar Madruga e Fabio Rodrigues.

MBA EM CONTABILIDADE E DIREITO TRIBUTÁRIO DO IPOG

Turmas presenciais em andamento em todo o Brasil: AC – Rio Branco | AL – Maceió | AM – Manaus | AP - Macapá | BA- Salvador | DF – Brasília | ES – Vitória | CE – Fortaleza | GO – Goiânia | MA - Imperatriz / São Luís | MG – Belo Horizonte / Uberlândia | MS - Campo Grande | MT – Cuiabá | PA - Belém / Marabá / Parauapebas / Santarem | PB - João Pessoa | PE – Recife | PI – Teresina | PR – Curitiba/ Foz do Iguaçu/Londrina | RJ - Rio de Janeiro | RN – Natal | RO - Porto Velho | RR - Boa Vista | RS - Porto Alegre | SC – Florianópolis/Joinville | SP - Piracicaba/Ribeirão Preto | TO – Palmas

Fórum SPED

Fórum SPED